Notícias

Imprimir

Três terminais são inaugurados no Porto do Açu, no Rio de Janeiro

07/06/2016

Três novos terminais portuários foram inaugurados nesta terça-feira, 7/6, no Porto do Açu, em São João da Barra, no litoral norte do Estado do Rio de Janeiro: de Multicargas (T-MULT), de Petróleo (T-OIL) e de Combustíveis Marítimos do Açu (TECMA). O ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella esteve presente na cerimônia para testemunhar os empreendimentos realizados pelo setor privado, e mostrou o seu interesse no setor. “Queremos e vamos ser facilitadores de novos e grandes investimentos que possam ajudar o Brasil a melhorar sua logística, sua infraestrutura e trazer de volta o crescimento, o emprego, derrubar o custo Brasil, melhorar nossa competitividade, estimular e garantir concorrência justa”, afirmou.

Os planos de investimentos aprovados pela Secretaria de Portos do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil nos três terminais somam R$ 375,4 milhões. Foram de R$ 321,3 milhões nos terminais de Multicargas (T-MULT) e de Petróleo (T-OIL) e mais R$ 54,1 milhões no de Combustíveis Marítimos (TECMA). Em relação ao Porto do Açú, localizado próximo ao campo petrolífero mais produtivo do país, o ministro disse que em breve estará concluído os estudos para a readequação da Estrada de Ferro 118. Segundo ele, os estudos estão sendo desenvolvidos pelos estados do Rio de Janeiro e do Espírito Santo, com entrega prevista ainda este ano: “Vamos discutir outras interligações com o setor produtivo da região para garantir, em breve, mais acessibilidade ao Porto e aos grandes centros produtores e consumidores do país”, afirmou. 

O diretor da Agencia Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), Fernando Fonseca, parabenizou os empreendedores e colocou a Agencia a disposição: “Nós da Antaq estamos prontos para ajudar na implementação de investimentos como este, tão importantes para o Brasil, para o setor portuário e conseqüentemente para a sociedade como um todo”, disse. 

Na ocasião, o ministro também falou sobre o Fundo da Marinha Mercante, que vem contribuindo para a para a renovação e o crescimento da frota de embarcações mercante do país, o fortalecimento da indústria naval, o aumento do transporte por hidrovias, cabotagem e apoio marítimo à exploração de petróleo e gás brasileira. “A indústria naval é uma das maiores empregadoras da nossa economia, especificamente aqui na região”, garantiu.

De acordo com os contratos com a Secretaria de Portos, o T-Mult deve acrescentar uma capacidade de movimentação de carga equivalente a 200 mil contêineres de cerca de 6 metros de comprimento. A capacidade plena do T-Oil será de 61,3 milhões de toneladas por ano. O Tecma, por sua vez, tem capacidade de movimentação de óleo diesel marítimo estimada em 462.000 t/ano, podendo chegar à 924.000 t/ano até 2020 e a de óleo combustível marítimo é de 420.000 t/ano, podendo chegar à 630.000 t/ano até 2020.

Terminal de Multicargas (T-MULT)

Na primeira fase, o T-MULT representa um acréscimo de aproximadamente 4 milhões de toneladas na capacidade anual de movimentação de granéis sólidos e carga geral, em produtos como coque, carvão, clinquer, fertilizantes, rochas ornamentais e contêineres, além de bauxita. 

Novos equipamentos como correias transportadoras e um carregador de navios estão previstos para serem instalados no T- MULT em 2017, permitindo, com isso, maior produtividade e novas cargas ao terminal. Em 2015, foram realizados 3 carregamentos-teste de bauxita no terminal, que totalizaram 115 mil toneladas, referentes a contrato assinado entre a Prumo e a Votorantim Metais. O terminal está entrando em operação agora. 
O T-MULT tem águas com 14 metros de profundidade, 2 berços instalados em 500 metros de cais e cerca de 200 mil metros quadrados de área total. Futuramente, o terminal poderá ser expandido para 1.200 metros de cais e mais 1 milhão m² de área total. 

Terminal de Petróleo (T-OIL) 

Terá movimentação de 200 mil barris dos dia a partir de agosto com a demanda de um contrato da britânica BG com a operadora do terminal, Oiltanking, de matriz alemã. O contrato prevê possibilidade de expansão para 320 mil barris por dia. Existe também a previsão de prestação de serviços adicionais no local como descarte de resíduos, abastecimento de água e troca de tripulação. 

O T-OIL tem três berços disponíveis ao longo de 1,4 km de um quebra-mar que funciona como um abrigo, dando mais segurança a operações de transbordo de petróleo. O canal de acesso do T-OIL possui 20,5 metros de profundidade, mas até o final de 2017, a previsão é que a profundidade seja ampliada para até 25 metros. 

Com isso, será possível receber navios da classe VLCC (Very Large Crude Carrier), que carregam até 320 mil toneladas. Os berços Norte e Central do terminal serão capacitados para transbordo entre navios tipo VLCC e SuezMax, menores que os VLCC, e o berço Sul, apenas para transbordo entre SuezMax. 


Terminal de Combustíveis Marítimos do Açu (TECMA)

O Terminal de Combustíveis Marítimos do Açu (TECMA), parceria das empresas Prumo e BP, importa diesel marítimo para venda à clientes no mercado local de óleo e gás. Tem capacidade de movimentação de óleo diesel marítimo estimada em 462.000 t/ano, podendo chegar à 924.000 t/ano até 2020 e a de óleo combustível marítimo é de
420.000 t/ano, podendo chegar à 630.000 t/ano até 2020.

Com águas com profundidade de 14 metros, o TECMA pretende ser um grande centro de distribuição de combustíveis marítimos. Começa a operar este mês fazendo operações de transbordo, sem área de armazenagem. Espera-se que possa expandir atividades futuramente.

 

Fonte: Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil 

 

Voltar

  • Panorama
  • SIMBRACS - Catálogos de Oportunidades de Investimentos
  • Programa de Investimento em Energia Elétrica – PIEE
  • Relatorio de Anuncios de Investimentos
  • ApexBrasil
  • Portal Inovação
  • BrasilGlobalNet
  • BNDES
  • SUFRAMA
Outras Notícias