Notícias

Imprimir

Leilão consolida energia solar no Brasil, com deságio de 21,9%

13/11/2015

Nesta sexta-feira (13/11), a energia solar consolidou-se definitivamente na matriz elétrica brasileira, ao registrar, no 2º Leilão para Contratação de Energia de Reserva (LER), deságio de 21,9% em relação aos preços de referência e investimentos de R$ 4,4 bilhões. Também foram contratados projetos de geração eólica. Somando-se as duas fontes,  foram contratados no leilão 53 projetos de geração de energia elétrica, com investimentos de R$ 6,8 bilhões.

Na energia solar, com o resultado de hoje, somado aos dois leilões anteriores desta fonte, o Brasil já tem contratados  3.206,9 megawatts-pico (MWp) de potência,  em 94 empreendimentos da fonte solar fotovoltaica, somando R$ 12,9 bilhões em investimentos. Neste leilão, realizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) na sede da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), em São Paulo, foi alcançado o maior deságio já registrado para essa fonte.

A energia contratada irá compor reserva de capacidade de geração e o prazo dos contratos será de vinte anos, com início de suprimento a partir de 1º de novembro de 2018. O preço médio da energia contratada no leilão -  considerando tanto a solar como eólica - foi de R$ 249,00/MWh, alcançando um deságio médio de 15,35%.

Na energia solar, foram contratados 1.115,9 megawatts-pico (MWp) de potência, em 33 empreendimentos, a um preço médio de R$ 297,75/MWh (deságio de 21,9%). Os 20 projetos de fonte eólica com capacidade instalada de 548,2 megawatts (MW) de potência, a um preço médio de R$ 203,46/MWh, representaram um deságio de 4,5%.

As usinas serão instaladas nos estados de Bahia (24), Ceará (4), Maranhão (1); Minas Gerais (9), Paraíba (1), Pernambuco (4), Rio Grande do Norte (6), Tocantins (3) e São Paulo (1).

Garantia de escoamento da energia

A capacidade de escoamento da energia gerada pelos empreendimentos que participaram no leilão foi um dos quesitos considerados na primeira fase do certame desta sexta-feira, para garantir o acesso às instalações de transmissão para as usinas negociadas. Desde 2013 já foram realizados quatro certames com a avaliação de margens de capacidade de escoamento para a Rede Básica do SIN, garantindo o escoamento da energia a ser gerada.


Participação das fontes eólica e solar nos leilões regulados
 

Com a contratação de empreendimentos solares nos leilões deste ano, a inserção da fonte na matriz elétrica brasileira segue o caminho trilhado pela fonte eólica, já consolidada no país, garantindo a expansão da capacidade com energia renovável e limpa, a preços competitivos.

Em 2015, nos leilões de energia, a fonte eólica somou uma contratação de 1.176,2 MW, com R$ 4,8 bilhões em investimentos. Desde 2009, já foram contratados 15.168,2 MW, em 600 empreendimentos a partir de fonte eólica em Leilões Regulados. A capacidade instalada da fonte atingiu em setembro o total de 7.055 MW, com 276 usinas em operação.

Para a fonte solar, o ano de 2015 consolidou sua negociação em leilões regulados. Por meio da participação no 1° Leilão de Energia de Reserva, realizado em agosto, e no 2° Leilão de Energia de Reserva, realizado hoje, a fonte soma 2.158,9 MWp contratados em 2015. Ao todo, considerado o resultado do Leilão de Energia de Reserva de 2014, realizado em 31/10, já foram contratados 3.206,9 MWp  em 94 empreendimentos a partir da fonte solar fotovoltaica, somando R$ 12,9 bilhões em investimentos.

Fonte: MME  

 

Voltar

  • Invest&Export
  • Panorama
  • SIMBRACS - Catálogos de Oportunidades de Investimentos
  • Programa de Investimento em Energia Elétrica – PIEE
  • Relatorio de Anuncios de Investimentos
  • ApexBrasil
  • Portal Inovação
  • BNDES
  • SUFRAMA
Outras Notícias