Notícias

Imprimir

Principal parceiro comercial desde 2009, China amplia investimentos no Brasil

19/05/2015

Um marco na estreita e fluida coordenação que assinala as relações entre China e Brasil. Assim pode ser definida a visita do primeiro-ministro da República Popular da China, Li Keqiang, ao Brasil, ocasião em que firmou, com a presidenta Dilma Rousseff, um Plano de Ação Conjunta entre os dois países no período de 2015 a 2021. 

Durante a visita da comitiva chinesa, nesta terça-feira (19), foram assinados um total de 35 acordos que abrangem os segmentos de infraestrutura, manufaturas, comércio, planejamento estratégico, infraestrutura, transporte, agricultura, energia, mineração, ciência e tecnologia, comércio, entre outros. Além disso, foram celebradas declarações conjuntas sobre os resultados da visita do primeiro-ministro e sobre mudanças climáticas.

"O Plano de Ação Conjunta 2015-2021, que assinei com o primeiro-ministro,inaugura uma etapa superior em nosso relacionamento. Está expresso nos vários acordos, nos múltiplos acordos governamentais e empresariais firmados hoje, em especial nas áreas de investimentos e comércio", afirmou a presidenta Dilma Rousseff. 

O primeiro-ministro da República Popular da China, Li Keqiang, chegou na noite de 18 de maio, acompanhado por cerca de 120 empresários chineses, e foi recebido no Palácio do Planalto com honras de chefe de Estado. "Teremos a oportunidade de dialogar com o empresariado dos dois países sobre o importante papel que exercem nesse processo de aproximação", destacou a presidenta.

Brasil e China mantêm importantes fluxos de investimentos bilaterais. As trocas comerciais entre os dois países alcançaram US$ 77,9 bilhões em 2014, com superávit brasileiro de US$ 3,3 bilhões. Do lado brasileiro, destacam-se os setores aeronáutico, bancário, de máquinas, autopartes e agronegócio. Tem-se observado, também, diversificação dos investimentos chineses no Brasil para setores de energia, eletrônicos, automotivo e bancário.

De acordo com José Alfredo Graça Lima, subsecretário-geral político do Itamaraty, "as relações bilaterais entre o Brasil e a China apontam para um novo tipo de cooperação entre os dois países: com muito mais foco em investimentos em aumento da capacidade produtiva, com aporte chinês em matéria de tecnologia para diferentes áreas".

Durante sua estada no País, o primeiro-ministro chinês deve se encontrar com os presidentes do Senado e da Câmara dos Deputados. Na quarta-feira (20), a comitiva segue para o Rio de Janeiro.

Ferrovia Transcontinental

Durante a visita do primeiro-ministro Li Keqiang, a presidenta Dilma Rousseff também recebeu o presidente do Peru, Ollanta Humala. Os três países iniciaram juntos estudos de viabilidade para a Ferrovia Transcontinental, que  vai cruzar o continente sulamericano, ligando o oceano Atlântico ao Pacífico.

"Um novo caminho para a Ásia se abrirá para o Brasil, reduzindo distâncias e custos. Um caminho que nos levará diretamente, pelo oceano Pacífico,  até os portos do Peru e da China", afirmou a presidenta Dilma Rousseff, durante declaração feita à imprensa após a assinatura de atos entre os dois países.

"Convidamos as empresas chinesas a participarem dessa grande obra, que sairá de Campinorte, no TO, lá na Ferrovia Norte Sul, passará por Lucas do Rio Verde no MT, atingirá o Acre e atravessará os Andes até chegar ao porto no Peru", explicou a presidenta.

Carne brasileira

Acordo sanitário entre os dois países também colocou na fila mais nove frigoríficos brasileiros, a princípio, para exportar carne à China. "A partir deste acordo sanitário cria-se uma nova forma de relacionamento entre as autoridades chinesas, autoridades sanitárias brasileiras e o Ministério da Agricultura", disse a presidenta Dilma Rousseff.

Histórico de boa relação

As relações comerciais entre Brasil e China foram estabelecidas em 1979 e, desde então, têm evoluído ano a ano. A partir de 2009, o país asiático se transformou no maior parceiro comercial brasileiro. A cooperação com a China também vem se constituindo numa das principais fontes de investimento diretos no País, tendo entre os destaques os setores de energia e mineração, siderurgia e agronegócio.

A cooperação entre Brasil e China tem o olhar atento dos demais países do mundo, em especial aqueles em desenvolvimento. Para o secretário-geral das Relações Exteriores, embaixador Sérgio Danese, chama especialmente a atenção a vocação inovadora e a capacidade de renovação desse relacionamento.

"Quando demos início ao programa CBERS [Programa China Brasil Earth Resource Satellite], em 1988 – o primeiro entre países em desenvolvimento no campo da alta tecnologia – poucos acreditavam na sua continuidade. Menos ainda na nossa capacidade de avançar conjuntamente no desenvolvimento de novas tecnologias. Mostramos a todos que isso é plenamente possível", afirmou o embaixador brasileiro, durante reunião da reunião da Comissão Sino-Brasileira de Alto Nível de Concertação e Cooperação (Cosban), há cerca de um mês.

Para ele, o mesmo pode ser dito em relação à parceria estratégica, instituída em 1993 – a primeira estabelecida pela China. "Hoje temos uma parceria genuinamente global. Somos parceiros no BRICS, no BASIC e no G-20. Criamos o Novo Banco de Desenvolvimento do BRICS e o Arranjo Contingente de Reservas. E agora o Brasil se une à China na formação do Banco Asiático de Investimento e Infraestrutura. Todas essas são áreas inovadoras das relações internacionais contemporâneas, nas quais temos podido desenvolver uma proveitosa ação comum e coordenada", afirmou.

Cosban

Criada no ano de 2004, a Comissão Sino-Brasileira de Alto Nível de Concertação e Cooperação (Cosban) é considerada o principal mecanismo institucional das relações dos dois países. Por meio de subcomissões e Grupos de Trabalho, a COSBAN cumpre papel fundamental na avaliação, planejamento e implementação de nossa ampla agenda de cooperação. Sua terceira e mais recente reunião ocorreu em Cantão, no último semestre de 2013.

Banco de Investimentos

Recentemente o governo brasileiro aceitou o convite da República Popular da China para participar como membro-fundador do Asian Infrastructure Investiment Bank (AIIB). A proposta do país asiático, que tem o objetivo de tirar do papel aproximadamente US$ 8 de trilhões em financiamentos, já mobilizou mais de 50 nações interessadas.

Saiba quais foram os 35 acordos assinados entre os governos brasileiros e chinês nesta terça-feira (19):

RELAÇÕES EXTERIORES

  • Plano de ação conjunta entre o governo da República Federativa do Brasil e o governo da República Popular da China (2015 – 2021)
  • Memorando de entendimento para implementação de projetos para promoção de investimentos e criação de oportunidades de negócios entre os dois países.

COMUNICAÇÕES:

  • Memorando de entendimento sobre sensoriamento remoto, telecomunicações e tecnologia da informação
  • Acordo de colaboração para financiamento e operação de Projeto Free Wifi 4G
  • Acordo entre a Vivo e a Huawei sobre o Projeto Tech City para ampliação da cobertura e do sinal na região do centro do Rio de Janeiro e na região do Porto Maravilha
  • Acordo sobre centro conjunto de inovação na área de telefonia celular
  • Memorando de entendimento de cooperação estratégica em soluções fixas e móveis

 PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO

  • Acordo-quadro para o desenvolvimento do investimento e cooperação na área de capacidade produtiva e o programa de colheita precoce dos investimentos e cooperações na área de capacidade produtiva entre Brasil e China

TRANSPORTES

  •  Memorando de entendimento sobre estudos de viabilidade do Projeto Ferroviário Transcontinental
  • Acordo-quadro de financiamento sobre a compra de 40 aeronaves da Embraer
  • Contrato de financiamento leasing operacional para a Azul Linhas Aéreas

 CIÊNCIA E TECNOLOGIA

  •  Protocolo complementar sobre a pesquisa e produção conjunta do satélite de recursos terrestres China-Brasil (Cbers) 04a
  • Acordo de cooperação científica
  • Memorando de entendimento sobre oferta de treinamento em tecnologia da informação a bolsistas do programa Ciências sem Fronteiras

 AGRICULTURA E PECUÁRIA

  • Protocolo de requisito de saúde e quarentena sobre a exportação da carne bovina do Brasil à China
  • Acordo de cooperação sobre saúde animal e quarentena animal
  • Acordo-quadro de cooperação trilateral entre o governo do estado do Mato Grosso do Sul, o Banco de Desenvolvimento da China e o grupo China BBCA sobre o processamento de milho e soja

ESPORTES

  • Memorando de entendimento para cooperação esportiva nas modalidades de tênis de mesa e badminton

ENERGIA

  • Memorando de entendimento sobre cooperação na área de tecnologia nuclear
  • Acordo de conclusão de transferência de ações da EDPR para o Grupo Três Gargantas sobre projeto de energia eólica
  • Memorando de entendimento sobre cooperação em promoção de comércio e investimentos para construção de painéis solares fotovoltaicos

PETROBRAS

  • Acordo-quadro de cooperação para financiamento de projetos da Petrobras no valor de US$ 5 bilhões
  • Acordo-quadro de cooperação para financiamento de projetos da Petrobras no valor de US$ 2 bilhões
  • Acordo de cooperação para a criação de relacionamento de longo prazo

COMÉRCIO EXTERIOR

  • Memorando de cooperação financeira global entre a Vale e ICBC para oferta de serviços financeiros no valor de US$ 4 bilhões
  • Contrato de compra e venda de ações do Banco BBM S.A. pelo Banco de Comunicações da China
  • Acordo de cooperação para parcerias preferenciais e acesso ao mercado brasileiro de capitais

INFRAESTRUTURA

  • Contrato de afretamento entre a Vale e a Cosco
  • Memorando de entendimento visando à criação do Polo Automotivo de Jacareí/SP
  • Acordo de cooperação para a instalação de complexo siderúrgico no Maranhão
  • Memorando de financiamento sobre projeto de compra de 14 navios de minério de ferro de tonelagem de 400 mil toneladas
  • Memorando de financiamento sobre projeto de compra de 10 navios de minério de ferro de tonelagem de 400 mil toneladas
  • Memorando de entendimento para aquisição de 4 navios da Class carregadores de minério de grande porte
  • Acordo-quadro entre China Merchants Shipping e Vale para transporte marítimo de minério de ferro

MEIO AMBIENTE

  • Memorando de entendimento para parceria privada com vistas à elaboração de projeto no âmbito no programa de integração da Amazônia Legal para renovar e ampliar o atual Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam)

Saiba mais sobre os acordos firmados entre Brasil e China.

 

Fonte: Blog do Planalto  

 

Voltar

  • Panorama
  • SIMBRACS - Catálogos de Oportunidades de Investimentos
  • Programa de Investimento em Energia Elétrica – PIEE
  • Relatorio de Anuncios de Investimentos
  • ApexBrasil
  • Portal Inovação
  • BrasilGlobalNet
  • BNDES
  • SUFRAMA
Outras Notícias